terça-feira, março 13, 2007

A QUE CHAMAMOS PAZ?

Arundhati Roy
Esta mulher cujas ideias se regem pelo lado mais avançado da consciência humana, foi galardoada com o Prémio da Paz de Sydney. Ao aceitá-lo fez questão de assumir a sua condição de escritora, demarcando-se de falsas virtudes, de movimentos de massas e daqueles que são nomeados como «os sem voz». Arundhati aponta para os que são deliberadamente silenciados ou, talvez de outra forma, não ouvidos. Ao receber o prémio disse que o fazia, sem acenar com a bandeira dos despossuídos ou impotentes, como a expressão de solidariedade da Fundação da Paz de Sydney para com uma certa visão do mundo que milhões de nós, um pouco por toda a parte, subscrevemos.
«Está ficando cada vez mais claro que a violação dos direitos humanos é uma parte inerente e necessária do processo de implementação de uma estrutura política e económica coerciva e injusta no mundo. Crescentemente, as violações contra os direitos humanos são mostradas como falha ineliz, quase acidental, de um sistema polítco e económico que, de outro modo, seria perfeitamente aceitável. Como se essas violações fossem um pequeno problema que pode ser varrido do mapa com um pouco mais de atenção da parte de algumas organizações não governamentais. À medida que a batalha pelo controle dos recursos do mundo se intensifica, o colonialismo económico, por meio da agressão militar oficial, ensaia uma volta à cena. O Iraque é a culminação lógica do processo de globalização corporativa, no qual se fundiram o neocolonialismo e o neoliberalismo. Se pudéssemos espiar através de uma fresta da cortina de sangue, vislumbraríamos as impiedosas transações que ocorrem nos bastidores»
Extractos da palestra deita pela escritora indiana Arundhat Roy ao receber o Prémio da Paz de Sydney 2004.
O original pode ser encontrado em
htto://www.planetaportoalegre.net/041125_2.htm.

2 comentários:

naturalissima disse...

É sem dúvida uma mulher de uma força interior muito grande, uma mente invulgarmente atenta, um espirito especialmente aberto e de um grande valor humano quase incomparável.
Há de facto muita coisa dela na net e em livros. Vale a pena APRENDER com esta mulher.


_____



E porque estou ainda em estado de choque, depois de ter posto os meus olhos durante 10 minutos, num novo programa da TVI em que elas são "BELAS", mas BURRAS e eles de borbulhas na cara, despenteados, são uma "INTELIGÊNCIA"!!!
Fiquei mesmo em estado de choque!!! Nem sei ainda como classificar aquela MERDA de programa, do mais atrasado, mais estúpido, mais machista, mais ignorante, que se possa imaginar...
Como é possível obrigar as pessoas a comerem AQUILO... Pior, foi considerado o programa com maior audiência...

Porque é que Portugal vai comprar o pior dos Americanos????

ESTOU ENVERGONHADA!

copa-rota disse...

O mundo não é totalmente governado pela lógica: a própria vida envolve certa espécie de violência, e a nós compete-nos escolher o caminho da violência menor...”

( Mahatma Gandhi )


Deixo uma saudação a esta Mulher de valor intrínseco, esperando que ela continue a caminhar no sentido duma violência menor.

Um abraço especialmente determinado para si, amigoJoão...

Até breve,

Miguel