quinta-feira, abril 15, 2010

AS CITAÇÕES DITADAS AO NOSSO QUOTIDIANO



de PLUMA CAPRICHOSA
Clara Ferreira Alves



ÚNICA









Na sua crónica
Somos um pequeno e desgraçado país
temos uma elite sofrível e uma classe política sem cultura política nem histórica

Sai-se da pátria e regressa-se à pátria e as notícias são as mesmas; é como se o mundo girasse e nós parados. à espera do apocalipse. Tudos nos diz que amanhã será pior e toda a gente nos pede mais sacrifícios, mais penúria e mais infelicidade. É impossível levantar um país de vencidos ou convencê-lo a fazer alguma coisa por si. Leio as notícias sobre o extraordinário salário de António Mexia, da EDP, os 3,1 milhões anuais, e penso o que pensa uma pessoa normal: não vale a pena. Os velhos morrem de frio no Inverno porque não têm dinheiro para pagar «a luz» e o senhor eneria tem um salário igual ao dos melhores 200 gestores americanos. Numa empresa falsamente privatizada que floresce num regime de monopólio e em que o Estado é o maior accionista. E aquilo é o salário, fora os benefícios e os cartões. Fora as reformas e as pensões. A permanente resignação perante a imoralidade é que nos torna passivos, fracos, assustados, irresolutos e cúmplices da delapidação do nosso dinheiro. E um governo socialista autorizou isto e promoveu isto. E pior do que isto. Não se trata de premiar o mérito, trata-se de premiar a estupidez. Porque deixamos isto passar.
(...)
Em Portugal, deixámos de ter símbolos e não temos modelos. O português mais influente é um jogador de futebol. O segundo mais influente é um treinador de futebol. E ponto final. Temos uma elite sofrível e uma classe política sem cultura política nem histórica, ludibriada por autodidactas ou por rapazes com cursos tirados no estrangeiro e que chegam a Portugal com um objectivo: enriquecer. Enriquecer à sombra do partido, do padrinho na banca e do Estado. De nós. E a justiça trata de si e dos seus privilégios. Somos um pequeno e desgraçado país.

2 comentários:

Canto Turdus Merula disse...

Sim, assim parece: "Não se trata de premiar o mérito, trata-se de premiar a estupidez", O mérito da estupidez, ou pela estupidez, visto que, traz enorme benefício em quem trata o mérito desta maneira.

Canto Turdus Merula disse...

Agradeço a visita e o comentário ao meu blogue.

Acompanho os seus blogues com agradável simpatia pelas publicações de diferentes áreas, sempre com um olhar conhecedor e enriquecedor.

Recebo com agrado as passagens que possa fazer ao meu blogue.